PEQUENOS GRANDES GESTOS

Um dia descobrimos que ver os primeiros raios do dia é bobagem, que ouvir aquela música antiga de velhos sonhos não é nada, que um beijo é absolutamente simples e primário, que somos extremamente insignificantes diante das grandiosidades do mundo.
Um dia percebemos que as coisas mais simples e constantemente despercebidas são extremamente valiosas. A brisa que bate no rosto, um mero gesto, a noite enluarada, a canção inocente, o sorriso transparente, um carinho despretensioso... Pequenos momentos que em nossos sentidos ganham potenciação.
Quando vivemos momentos de sublimação na vida quase tudo é motivo de alegria, de empolgação, de serenidade. Os anjos cantam aos meus ouvidos biônicos, as asas brotam em mim como em Ícaro, a vida ama-me! A vida se torna um oásis de felicidade.
A grandeza está no poder da soberania dos sentimentos, na protuberância da força da emoção, na singularidade de uma existência digna, na produtividade altruísta e intelectual, na cidadania construída cotidianamente em comunidade, na transformação social pela crítica construtivista.
Você tem praticado pequenos grandes gestos? Pequenas ações podem levar alegria a quem está tendo motivos apenas para chorar!