AMAR É ESPECIAL: QUASE UM MILAGRE

“Amar é uma coisa especial, só acontece uma vez... É como um milagre difícil de explicar... Enfim é perceber o teu sentimento... Por amar cruzaria os mares pra te ter por um dia. Por amar juntaria a chuva com o fogo. Por amar eu te daria a vida”.
Quando se ama não escrevemos a história somos a própria história de nossos sonhos. No amor o tempo ganha uma nova conotação, juntos o tempo é ouro e curto, longe o tempo é cruel e infinito.
A vida se transforma em canção, comoção, contemplação. É como um sonho que se quer sonhar, que se quer agarrar com toda a força e nunca mais acordar. O sonho nos transporta e nos faz criar um mundo bem melhor, incomensuravelmente melhor.
Vive-se então um turbilhão de sentimentos confluentes e contradizentes, pela pura e imensa vontade. É um “não sei viver sem você”, “você é o ar que respiro”. Deleites e delícias! Compreende-se quando se está apaixonado, com o coração ferido e marcado pelo outro.
Se algo acontece, se o caminho tem espinhos uma angústia e uma inquietude rouba a cena. Se o desenlace, o fim se anuncia, o peito se fere que a dor parece um desastre, um desmantelamento terrestre e cósmico.
O doce gosto do amor, da paixão! Ah, que delícia sentir o inferno da paixão, a tormenta do amor, a angústia da relação, o peso da conjunção... Dizia um amigo meu que desejou alguém tão intensamente, que se ela viesse montada num cavalo começaria beijando pelo rabo do animal. Que belo final (rsrsrs)!