AVALIAR PARA MELHORAR

Mais um ano termina e quantas histórias e eventos nos marcaram, quantas lembranças boas veem a memória, talvez alguns arrependimentos, algumas estratégias não surtiram o efeito desejado. E os objetivos que traçamos? Em que medida conseguiu-se realizar os nossos sonhos? Qual foi a qualidade de nossos grandes desejos para o período? Qual foi minha contribuição social, ambiental, cultural? Há os que prefiram analisar números e valores financeiros do ano, há os que analisamos os valores sentimentais e afetivos...
Avaliar é importante, pois nos dá a capacidade de traçar um planejamento mais efetivo, observando as oportunidades a serem exploradas para uma vida melhor e as ameaças e riscos a serem superadas pelo crivo da inteligência e da organização pessoal. Entretanto, sabemos que o estilo de vida atual pouco tem favorecido nossa capacidade de avaliação, nos forçando a tomar decisões rápidas e muitas vezes precipitadas.
Observar os aspectos imateriais, indubitavelmente, se faz essencial até por demais. Fim de ano, por natureza, nos leva uma retrospectiva de nossos passos marcantes. É preciso, portanto, determinar, mesmo que superficialmente, em que grau está a nossa qualidade de vida, a qualidade de nossos relacionamentos, de nossa satisfação com o trabalho, com os nossos amigos e familiares.
Talvez, o estado de espírito neste último dia do ano seja um reflexo do que foi, em média, os outros 364 dias. Se a média não é tão boa não importa, é tempo de melhorar! Se a avaliação é positiva não se acomode, podemos melhorar a cada dia. É isso que 2013 espera de nós!