LUÍS GOMES: A ESPERANÇA DE NOVOS TEMPOS

O Tribunal Superior Eleitoral adiou a pauta de julgamento nº 07/2015 da sessão ordinária que julgará a ação de impugnação do mandato eletivo de Francisco Tadeu Nunes e Antônia Gomes Abrantes Barbosa.
A ação de impugnação de mandato eletivo julga ações do executivo luisgomense de abuso de poder econômico, abuso de poder político e captação ilícita de sufrágio (voto), ao passo que a “Prefeitura Municipal de Luís Gomes foi transformada num cabide de empregos” (TRE-RN).
Enfim, dá-se como quase certa a impugnação do mandato dos atuais gestores, por serem contundentes os fatos do processo e cassação anteriormente realizada em outras instâncias de decisão.
E se vier a confirmar, se finda um período de trevas, de um governo desorientado, improdutivo, ridicularizado, amplamente voltado aos interesses de sua base de poder e de financiadores de campanha. É verdade, o atual governo entrou para a história política do Luís Gomes, não há quem possa apagar... Mas, pode levar também a alcunha histórica, sem medo de errar, de uma das piores administrações do município de Luís Gomes.
Não fazemos revelações, são os fatos que mostram. E outra, se houver sucessão, de fato, não estaremos seguros de que o período de trevas acabou. Temos um exemplo vívido de que a mudança, certas vezes, em nada favorece a sociedade. A atual gestão que está em plena derrocada e que se mantém no poder por força de liminar é uma prova viva. De um discurso de mudança, de avanços, de capacidade, de desenvolvimento, se tornou motivo de piada e de chacota.
É necessário muito cuidado para não voltarmos para o mesmo buraco. Se a cassação se confirmar novas eleições diretas serão realizadas. Será que candidatos irão montar um novo circo? Em campanha nos faz rir, mas na prática nos faz ‘chorar’. E os nossos eleitores aprenderam a diferenciar o lobo vestido de pele de cordeiro?
O fato é que alguns luisgomenses já citam personagens para uma provável nova eleição municipal. Nomes como Luciano Pinheiro, Joanismar Sobreira (Naninha), Francisco Joseílson, Mariana Fernandes, Antônia Gomes Abrantes Barbosa. E nesse momento vale questionar: quanto vale um voto? Duzentos reais? A promessa de um emprego? O voto pela amizade? Cada um valerá aquilo a que se apegar...

Enquanto isso, esperaremos o fim de mais um capítulo triste e vergonhoso da história de Luís Gomes, decidido em tribunais que premiam, nesse caso, não as iniciativas inovadoras e criativas, mas as artimanhas ilegítimas para a manutenção de projetos de poder.