10 DICAS PARA INTERPRETAR TEXTOS

Interpretar um texto é uma experiência que coloca frente a frente leitor, escritor e o texto. A partir daí ocorre uma relação de mundos na busca por sentidos, conhecimentos, experiências. Nem sempre é uma relação de entendimento.
Mas se essa relação se aproximar de um modo mais prazeroso, autônomo, libertador, significativo, evidentemente que o papel e a função social do escritor/artista se ampliam e o recompensa, na medida que o leitor se torna mais consciente enquanto personalidade (identidade, subjetividade) e indivíduo na construção da cidadania (coletividade, relações sociais).
Dessa forma, a leitura e a interpretação são influenciadas por fatores internos, textuais, e por fatores externos, contextuais, que servem de base para uma compreensão profícua dos gêneros textuais.
De um modo geral, citamos algumas dicas para facilitar e alertar para estratégias e atitudes que dinamizam e qualificam o processo de compreensão do texto, em seus mais variados gêneros.
1ª. Um dos grandes passos para se interpretar um texto é saber com que objetivo(s) ele foi produzido. Se reconhecemos que o texto tem como meta informar, divertir, criticar, ensinar, emocionar, conscientizar ou qualquer outra intenção, já é um passo decisivo para a sua compreensão.
2ª. O processo de leitura precisa levar em conta aspectos pré-textuais (título, subtítulo, epígrafe, apresentação), textuais (o texto, imagens, gravuras, gráficos, linguagem) e pós-textuais (autor, livro, coautoria, data, cidade, editora). Cada detalhe é colaborativo no entendimento global do texto.
3ª. Verifique se compreendeu o significado de todas as palavras, caso contrário, recorra ao dicionário. Cada palavra é importante para o todo do texto, se não, não estaria presente.
4ª. Leia as entrelinhas. Perceba o que diz o autor, inclusive o que não disse, mas deixou subtendido. Muitos autores “forçam” essa participação proativa do leitor.
5ª. Para entender melhor o texto é possível fragmentar a leitura por parágrafos, sublinhar termos importantes e fazer resumos, resenhas e fichamentos, quando a complexidade do texto exigir.


6ª. Observe que textos informativos e jornalísticos são mais diretos e mais fáceis de compreender. Textos narrativos normalmente possuem uma dificuldade média. Por outro lado, textos em que o conhecimento é muito técnico (medicina, advocacia) ou de forte tendência metafórica (poesia), a compreensão se torna mais difícil e requer mais atenção e estratégias de leitura.
7ª. É importante identificar o tipo de texto em questão, pois cada gênero possui suas especificidades e, partir delas, significados valiosos.
8ª. Tente identificar o contexto de produção, isto é, a época do texto, pois o momento da escrita pode ser fator fundamental na sua significação.
9ª. Durante a leitura, proponha hipóteses para o texto e, com o tempo, verifique se elas têm validade ou não. Fazer previsões é uma forma de o leitor colocar em ação seu conhecimento de mundo no processo de leitura e compreensão.
10ª. Discuta com o autor do texto. Concorde, discorde, critique, aceite, proponha, compare... Dessa maneira, cria-se um laço afetivo entre leitor e texto no intuito de um significar o outro, de ambos apontarem caminhos e sentidos pertinentes.