ADMINISTRAR É UMA ARTE DE LIDERANÇA

O melhor líder não é necessariamente aquele que faz as melhores coisas. Ele é aquele que faz com que pessoas realizem as melhores coisas (Ronald Reagan).
Administrar é arte de liderança, da tomada de decisões mesmo aqueles mais complexas, é a busca da superação de problemas reais, é a busca de métodos e recursos para atender as necessidades dos cidadãos e/ou clientes, é um ato constante de responsabilidade e planejamento.
É um ato de legalidade, que sob as mãos do gestor depende (muitas) vidas. Um ato, um recurso, uma decisão imprópria ou transviada pode ser decisiva para geração de intranquilidade, perdas e sofrimento. Por isso, debater, refletir, ponderar, avaliar é tão importante.
É um ofício de humildade, em que se deve ser exemplo, conselheiro, parceiro, comprometido, técnico e emocionalmente capaz, aberto a ouvir e discutir cada vez mais. E nada de colocar-se na posição de mártir, de coitado, de forma apelativa.
É colocar as soluções a frente das desculpas e lamentações, é colocar o social acima do individual, é investir tempo e esforço em ações práticas e menos em discursos teóricos, é ter foco o bastante para almejar os objetivos e se blindar de prevaricações corruptas (na forma ativa ou passiva).
Administrar é, entre outras coisas, um ato de liderança, de condução de pessoas, ideias, recursos e sonhos. Administrar é rodear-se de pessoas competentes, proativas, inteligentes, resolutivas, com o intuito de alcançar o sucesso. Saber administrar é saber tomar decisões de forma equilibrada, embasada e justa. É um ato que exige superação, para se fazer diferente e cada vez melhor.
Administrar ou liderar, talvez seja a maneira mais prática de encontrar respostas à sustentabilidade, a competência, a efetividade, a legalidade, a competitividade, a objetividade, a transparência, o sucesso... Que a liderança se apresenta naqueles que amam a vida e agem com autenticidade e liberdade. Os líderes são assim, audaciosos, comprometidos, intensos, propositivos.