LUÍS GOMES/RN: INFORMAÇÃO É PODER

Ideias, opiniões, grupos, negócios, projetos, empresas, governos, nações necessitam de informações privilegiadas para se firmar, se sustentar, se desenvolver. A conexão com a informação é um passo decisivo para o crescimento intelectual, econômico e estratégico.
Luís Gomes também está inserido nesse contexto em que a informação é peça-chave para a discussão e definição de novos rumos, na busca de resolução de entraves, na construção de projetos de desenvolvimento.
Uma população bem informada, com acesso a diferentes meios de comunicação, favorece os debates sociais, a diversidade produtiva, os meios para a absorção de recursos, o papel participativo, a maior prudência e austeridade das gestões públicas.
Sem informações relevantes e consistentes o discurso não ganha apoio, os negócios não prosperam frente à competitividade, os governos acabam tomando decisões precipitadas e improdutivas, nações caminham para o abismo da dependência e da desarticulação político-econômica.
Vivemos a era da informação em mundo cada vez mais tecnológico! Ela é imprescindível para pessoas, organizações e processos. A informação fundamentada permite a construção de um mundo mais consciente, democrático e dinâmico. Permite a todos que tenham voz e expressem suas opiniões e sentimentos. Permite interferir, de algum modo, na construção de um mundo melhor.
A sociedade Luís-gomense precisa acompanhar essa revolução que não é só tecnológica, mas que é, fundamentalmente, comportamental, no sentido da autocrítica, na capacidade de avaliar e criticar com argumentos, de propor novas estratégias e caminhos. Informação gera comunicação, que gera conhecimento, que gera consciência e poder...
Mas qual é a informação válida e relevante? Em certos momentos nos deparamos com o problema da falta de informação, em outros casos, com o seu excesso. Nesse quesito, é importante ter um equilíbrio, conseguir informações em quantidade e qualidade.
Eis o grande desafio, saber coletar informações confiáveis e precisas para cada necessidade. Isso aumenta a chance de se obter os melhores resultados com o menor custo possível. A coleta de informações é fundamental para o planejamento pessoal, corporativo e administrativo.
Por enquanto, mesmo que não sejamos capazes de selecionar as melhores informações no meio do turbilhão, ao menos temos um novo horizonte de possibilidades, no que tange a descentralização das informações, que até pouco tempo se concentravam nas mãos da “grande mídia”. Agora, principalmente, com as redes sociais, é possível se enxergar um horizonte virtual mais democrático...
Uma sociedade mais informada tem a possibilidade de ser uma esfera mais politizada, mais empenhada, mais responsável pelas suas atitudes e pelos atos de organizações e agentes públicos.
Assim, uma sociedade mais verdadeiramente informada tem o poder de propor e refazer os rumos de sua história, tem o poder de organizar-se e desarticular atos de opressão e injustiça, tem o poder de decidir e de fazer escolhas com mais liberdade e autonomia, tem a chance de, entre outras coisas, exercer (mesmo que a margem do “centro” de poder) liderança.