LUÍS GOMES: É HORA DE CONTROLAR GASTOS

O país está passando por mais uma crise econômica, mas que sofre reflexos importantes da crise política, da crise energética, da crise hídrica, da crise de credibilidade das instituições públicas e da impactante crise de confiança.
Em Luís Gomes os reflexos da crise econômica são visíveis, visto que o município acumula uma substancial dívida pública, com poucos recursos financeiros e, em contrapartida, muitos compromissos a serem honrados.
É tempo, como já havíamos comentado, de austeridade e de controle de gastos, sempre primordial o combate ao desperdício e a otimização de gastos do município. Certamente que alguns projetos serão impactados e serviços priorizados.
Desse modo, algumas decisões da nova gestão apontam para essa direção: a otimização de recursos e o enxugamento da máquina. Dentre as medidas, vários funcionários comissionados foram exonerados, realização de censo dos servidores (controle de pessoal), verificação de ausência de funcionários em setores estratégicos, disciplinamento de horários e cumprimento da carga horária integral pelos servidores, além de uma necessidade inevitável de renegociar dívidas acumuladas de gestões pretéritas.
Ao mesmo tempo que é preciso os cortes, também é importante que os administradores tenham a coragem, em meio aos dissabores, de assumir uma postura firme de enfrentamento dos problemas. Essas medidas não são exclusivas a Luís Gomes, muitos órgãos federais, estaduais, municipais, do terceiro setor, entre tantos, também recorreram a tais medidas emergenciais. 
Assim, Luís Gomes tem a oportunidade, mesmo que sacrificando colaboradores, de regular suas contas e se fortalecer para o futuro de desafios. Temos que acreditar que governo de favores, ditatorial e desarticulado já não representa as exigências da sociedade atual.