PLANO DE AULA: RETEXTUALIZAÇÃO

Pensar a língua portuguesa como um ente identitário dinâmico e decisivo na vida das pessoas é um norte para a construção de processos de ensino e aprendizagem mais significativos, para tornar o indivíduo capaz, entre outras coisas, de interagir eficientemente em qualquer situação comunicativa.
O trabalho em sala de aula com a retextualização é um desses mecanismos que favorecem um ensino mais reflexivo, criativo, dinâmico de aprender, principalmente sobre os gêneros textuais ou discursivos.
Retextualização é um processo em que se reconfigura um texto original em um novo texto, com uma linguagem diferenciada, com a estruturalidade e objetivos de um novo gênero textual. É um procedimento transformador que permite uma leitura mais aprofundada, uma vivência com o texto, uma consciência maior sobre a variedade e diversidade textual.
Assim, é possível transformar uma fábula em uma piada, uma crônica em um conto, ou uma notícia em um poema. Essas experiências não são novas. Escritores do modernismo, com destaque para Manuel Bandeira e Mário de Andrade já faziam essa suntuosa e profícua tarefa. Vale lembrar, por exemplo, o “Poema tirado de uma notícia de jornal” de Bandeira, “O poema que morreu” de Ricardo França, “No meio do caminho” de Drummond.
Assim, o plano consiste em trabalhar a retextualização como forma de aprofundamento sobre os gêneros textuais e sua dinamicidade, interatividade, intertextualidade, diversidade, levando em conta a efetividade desses gêneros nos contextos de comunicação e as suas características peculiares.
De modo que se teoriza sobre gêneros textuais, a características de alguns deles, o processo criativo de retextualização, a conformação ao gênero escolhido, a linguagem diferenciada, a estrutura do texto.

A prática consiste em executar essa criação textual, a partir da retextualização, tendo como orientação os objetivos e características de cada gênero textual. Por exemplo: retextualizar a notícia para o poema. É necessário conhecer os dois gêneros, observar que um tem o objetivo de informar de forma direta, concisa e objetiva, enquanto o outro tem a finalidade de encantar e refletir a partir de uma linguagem criativa, lacunar e conotativa. Então, com base na notícia, em suas informações e detalhes, parte-se para a construção do poema, incorporando os versos, estrofes, a rima, o ritmo...