AS INFORMAÇÕES IMPLÍCITAS

A compreensão de implícitos é essencial para se garantir um bom nível de leitura. Em várias ocasiões, aquilo que não é dito, mas apenas sugerido, importa muito mais que aquilo que é dito abertamente (explícito).
A incapacidade de compreensão de implícitos faz com que o leitor fique preso ao nível literal do enunciado, aquele em que as palavras valem apenas pelo que são, não pelo que sugerem ou podem dar a entender.
Quando lemos um texto não podemos ficar atentos apenas às informações explícitas (aquelas que estão claras, estão escritas). Para uma completa interpretação, temos que prestar atenção ao que está nas entrelinhas.
Objetivos: Compreender a importância do conteúdo explícito e implícito; Desenvolver o hábito de ler “nas entrelinhas”; Ser um leitor eficiente passa pelo entendimento tanto os dados explícitos como implícitos; Entender o papel do “pressuposto” e do “subentendido” nas relações implícitas; Exercitar os atos de pressupor e subentender é importante para o aprendiz, que recebe informações e as responde de forma ativa e crítica; Debater e resolver atividades para fixar o conhecimento sobre o tema.
O que não está expressamente dito pode aparecer, prioritariamente, de duas formas: os pressupostos, que são achados a partir das marcas textuais, isto é, das pistas a partir do conteúdo explícito e, por meio dos subentendidos, que envolve o texto e sua relação com o contexto, levando a leitura nas chamadas entrelinhas.
Assim, os pressupostos são de mais fácil identificação, estando sugeridos no texto. Enquanto que os subentendidos são deduzidos e sugeridos pelo leitor, a partir do seu envolvimento, reflexão e responsabilidade.