LUÍS GOMES: VEREDAS CIBERNÉTICAS

A cada dia o ser humano se aproxima e se conecta ao ciberespaço, que é o ambiente virtual para a comunicação e a informação disposto pelo meios tecnológicos. A virtualidade que permite transcender ou superar a ausência física, amplificar e diversificar relacionamentos e necessidades. 
As nossas vidas, assim, transfiguram-se pelas tecnologias, apontando-nos caminhos e saberes, com bytes e pixels que formam novos paradigmas, transformando a cultura, as sociedades, as organizações, os princípios. 
Um mundo novo é construído, com criatividade, fios, informações, disseminando os mais variados tipos de conhecimentos, informações e dados, através da ferramenta mais poderosa de todos os tempos: o espaço virtual da internet. 
Em Luís Gomes os reflexos desse universo já tem contornos bem aprofundados no cotidiano dos cidadãos, principalmente dos mais jovens, uma geração classificada como Y e Z, familiarizada com as tecnologias, globalizada, interativa, multitarefa, mas com diversos sinais de isolamento/distanciamento do mundo real.  
Na cidade, é comum ver muitos deles fechados nesse "canal paralelo" e, em alguns casos, completamente dependentes de tablets, smartphones e tecnologias do gênero. É verdade, o uso dessas tecnologias absorvem muito tempo das pessoas, muito mesmo, apesar de inúmeras vantagens, há uma perda sensível na interação verbal e pessoal, diminuição de atividades físicas, dificuldade de lidar com situações conflitantes e, com o hábito de zapear o tempo todo, favorece para um comportamento de ansiedade e incompletude. 
É sintomático, observamos muitas vezes que o virtual é mais importante e emergencial que a vida real. O aviso sonoro de um aparelho telefônico parece ser prioritário. Para tudo! Rsrsrs. "Ah, não era nada de mais, apenas um emoticon. O que você dizia?" Por que isso acontece? Porque o mundo virtual sobrepõe o mundo real para muitos jovens e (pré)-adolescentes?
Por isso, é fundamental postar as melhores fotos, com as melhores poses, com o melhor sorriso, com a melhor luz, com a melhor vestimenta, com as melhores companhias... Fica a impressão de que é mais importante parecer estar feliz do que, de fato, sê-lo. É o simulacro da vida, é a imagem que interessa, é o que se supõe sobrepor...
Eis que ao vermos tudo lindo e reluzente nas redes sociais, sucesso, brilho e fama, pessoas vivendo coisas fantásticas, a nossa vida parece significar quase "um nada". Só que não! São os efeitos mágicos e 'fotochapados' desse ambiente que nos passam uma falsa ilusão de perfeição e felicidade plena. Apenas fragmentos de uma realidade fictícia...
O mundo passa por essa avalanche cibernética, tão necessária e tão modernizante! Luís Gomes é parte desse sistema massificante e arrebatador. Cabe a todos buscar o equilíbrio na navegação pelo ciberespaço, tão contraditório, redemocratizante e, muitas vezes, ao mesmo tempo, libertário e aprisionador.