PRIMEIRO A BOA OU A MÁ NOTÍCIA?

Luís Gomes – RN: Hoje, pela manhã, fomos surpreendidos por duas notícias. Uma muito boa. Outra, preocupante. Então por qual iniciamos a nossa conversa? Como de costume e para nossa alegria, primeiro a boa!
A noite de domingo para segunda, trouxe uma chuva ótima para o município com registro de 58 milímetros. Tão boa que o principal reservatório da localidade, o açude Lulu Pinto, como pode-se observar na imagem, passa a armazenar uma boa quantidade de água.
O Açude Dona Lulu Pinto, construído no ano de 1.981, com capacidade para armazenar um total de 1.286.000 m³, é o único manancial de Luís Gomes disponível para o abastecimento da população. Desde o ano passado, encontra-se completamente vazio.
A última vez que o açude Lulu Pinto “sangrou” foi no mês de abril de 2009, numa manhã festiva para todos os luís-gomenses. Vamos acreditar que em 2017, oito anos depois, possamos reviver aquela cena inesquecível.
Por outro lado, mudando de assunto, mais uma ocorrência policial chamou a atenção da população no dia de hoje: o roubo de um celular da adolescente conhecida como Laura. O fato ocorreu, por mais irônico que parece, próximo a delegacia de polícia de Luís Gomes.
Veja as informações trazidas pelo vice-prefeito, Luciano Pinheiro, em sua rede social, detalhando a ocorrência: “Um celular foi furtado, por volta das 9h30 de hoje, próximo ao destacamento da Polícia Militar de Luís Gomes, no cruzamento da Rua José Fernandes com a Rua dos Funcionários. Três homens, num carro prata, um deles desceu e abordou a adolescente de inicial L, moradora na Rua dos Funcionários. Depois de tomar o aparelho seguiram em alta velocidade, em direção do centro da cidade. A Polícia Militar e a Civil já tomaram conhecimento”.
É triste relatar mais uma ação criminosa na Serra de Luís Gomes, num dia que deveria ser apenas de comemoração pelas honrosas chuvas que trazem esperança e prosperidade a nossa gente. Cada vez mais, a criminalidade avança no município, com repetidas investidas contra os bens privados e o patrimônio público.
Há poucos dias, noticiamos o vandalismo e a destruição ocorrida Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, onde também funciona o CRAS, no início do mês. Podemos citar vários outros casos como o assalto ao comércio do Senhor Assis Vitor, na Rua Cel. Antônio Fernandes Sobrinho. Arrombamento do Centro de Saúde Joaquim Martins Lopes, no centro da cidade. O assalto, à mão armada, na Loja de Conveniências Alfa Games em 2016. Carro de candidato a vereador incendiado. O jovem casal que teve seus celulares levados por dois delinquentes que pilotavam uma moto. Esses são apenas alguns dos vários casos que, em seu conjunto, levam as pessoas a dizerem: “Luís Gomes não é mais uma cidade pacata”, “Luís Gomes está numa situação caótica”, “Luís Gomes está indo de mal a pior”, referindo-se, nesse caso, à segurança das pessoas.
De fato, é muito preocupante porque a onda de crimes, pelo levantamento que fizemos, só aumenta. As autoridades investigam, mas parecem não ter as condições necessárias para realizar o seu trabalho de forma eficiente, uma vez que apuram, examinam, avaliam, inquirem, interrogam, no entanto não chegam até os infratores e criminosos.
Nesse momento, por tudo que vem acontecendo, a população deve ter consciência que a melhor salvaguarda é a prevenção. Quer uma lista? Então vai: não deixe portas abertas, não divulgue viagens em redes sociais, evite passear com bens de valor, cuidado redobrado com vendedores “de porta”, evite transitar durante a noite em locais pouco movimentados, estacione em locais bem iluminados.
Evidentemente que a sucessão de fatos de violência, em nosso município, deixa a comunidade aflita e, ao mesmo tempo, revoltada. Resta-nos cobrar das autoridades competentes, por isso pagamos impostos, e buscar dificultar a ação dos delinquentes.
A história que narrava a vida pacata e pacífica já não se estabelece na atual Serra de Santana. Os tempos mudaram e novos desafios surgem. As autoridades legitimadas também precisam mudar e encarar de frente essa nova realidade.