PROJETO ALUNO SOLIDÁRIO


“Se temos de esperar, / que seja para colher a semente boa / que lançamos hoje no solo da vida. / Se for para semear, / então que seja para produzir / milhões de sorrisos, / de solidariedade e amizade” (Cora Coralina).
INTRODUÇÃO - A palavra solidariedade tem origem no francês solidarité que também pode remeter para uma responsabilidade recíproca. Ser altruísta, pensar no outro, possuir atitudes compreensivas e humanitárias são aspectos valiosos para a aprendizagem dos alunos.
É bem verdade, como disse Clarice Lispector, que “vivemos em um mundo onde tudo tem preço, mas quase nada tem valor, e as poucas coisas que tem valor poucos sabem valorizar”. É a lógica capitalista e individualista: fazer as pessoas focarem na exterioridade (superficialidade) da vida.
Vivemos um mundo globalizado, competitivo, tecnológico, em que a lógica da velocidade e da lucratividade se sobrepõe a quase tudo, produzindo uma sociedade cada vez mais materialista, consumista, egocêntrica.
As nossas crianças e jovens estão num constante e ininterrupto limiar, isto é, entre o sucesso e o fracasso, entre a felicidade e a decadência, entre ser e ter... Cada dia aumenta a competitividade, acirramento, pressão, incompreensão, vazio, massificação, intolerância, esvaziamento de valores cruciais a paz e a prosperidade social.
Dessa forma, o “Projeto Aluno Solidário” é uma forma concreta de compreender conceitos importantes para a formação identitária e social dos alunos, tais como solidariedade horizontal, responsabilidade social, resiliência, formação do caráter, senso de justiça e fraternidade, simplicidade e humanidade.
De forma mais específica, o projeto ajuda os discentes a compreender, em suas relações sociais e comunitárias, ideias e comportamentos que nortearão suas vidas nos mais diversos ambientes de convivência e participação social.

JUSTIFICATIVA
Este projeto visa ajudar a desenvolver nos alunos o amor ao próximo, o espírito de partilha e cooperação, a comunicação ativa com a comunidade, a tomar decisões pautadas na dignidade e na honestidade, aprender a zelar pelo bem público, a dividir responsabilidades, a proteger as pessoas e o meio ambiente, a valorizar os bons costumes e se sentir feliz e realizado em fazer o bem e servir ao próximo.
De acordo com os PCN´s (Parâmetros Curriculares Nacionais) os temas transversais devem ser trabalhados em todas as disciplinas, constatando a importância de trabalhar a solidariedade, dessa forma pretende-se levar os alunos a refletir para que tenham condições de integrar tal perspectiva na luta contra as desigualdades.

OBJETIVO GERAL
Vivenciar, de forma dinâmica e concreta, a solidariedade e a cidadania, por meio da participação educativa e social, na construção de uma consciência humanitária, responsável e legitimadora, juntamente com os alunos e a comunidade.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
·        Adotar no cotidiano, atitudes de solidariedade e cooperação voluntária;
·        Respeitar as diferenças e repudiar as injustiças;
· Compreender a importância de conceitos como valores, cidadania e responsabilidade social;
·        Refletir a respeito de solidariedade e as formas de sua legitimação;
·        Favorecer práticas educativas e sociais de aplicação de atos solidários;
·        Saber colocar-se no lugar do outro;
·        Cultivar a esperança, a reconciliação e aquilo que há de positivo nas pessoas;
·        Interessar-se pela comunidade, pelo diálogo e pela resolução de problemas;
·       Realizar atividades práticas em que se reconheça a construção da paz e da justiça.
·        Promover manifestações de amor ao próximo e de serviço pela vida.

FUNDAMENTAÇÃO
Fazer o bem faz muito bem. Ser solidário é um ato de amor, pois pressupõe o respeito ao ser humano, a valorização e a importância de sua existência. Na solidariedade, percebe-se a beleza da partilha, da ação em conjunto e a percepção desta beleza em si, suscita valores essenciais, como a união, a paz, a liberdade, a evolução e a harmonia.
Quando somos solidários, de certa forma vamos além da bondade, porque participamos de um movimento social nascente, de inclusão e de responsabilização pelas pessoas. Nessas relações, aprendemos a viver de forma genuína, verdadeira, libertadora.
E sabendo que a comunidade simples do semiárido nordestino, de origens agropecuárias, é comum encontrarmos indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade social, ou seja, em condições de pobreza, passando, por vezes, pela falta de alimentação, de oportunidades, moradia, saúde, entre outras básicas.
Além dos casos em que se observa vulnerabilidade financeira, há aqueles que enfrentam outros tipos de dificuldades e injustiças, seja preconceito, exclusão social, violência familiar, depressão, solidão, sedentarismo, drogas, bullying, abandono, incompreensão, maus tratos, entre outros.
Tendo por base estes preceitos e a conjuntura político-econômica e as mudanças culturais, refletir e agir com solidariedade é tão necessário para a comunidade escolar, a fim de ampliar em nossos alunos e em toda a comunidade, o respeito, a dignidade, a fraternidade, a compreensão e a bondade, como meio de melhor nos desenvolvermos enquanto seres humanos.

METODOLOGIA
<> Proporcionar contato dos alunos com diversos materiais escritos (poesias, livros infanto-juvenis, textos informativos, noticiários, literatura de cordel, literatura universal, crônicas e parábolas);
<> Buscar de informações em dicionários e leituras referentes à origem do termo solidariedade;
<> Diagnóstico e mapa dos problemas sociais e afetivos da comunidade para atuar em defesa da cidadania;
<> Entrevista à familiares e pessoas da comunidade sobre o que é e o que fazer para ser solidário;
<> Estudo e interpretação de textos sobre solidariedade;
<> Realização de visitas às famílias mais carentes da comunidade;
<> Arrecadação de alimentos, roupas, entre outros, destinados aos mais necessitados;
<> Preparação de oficina para confecção de brinquedos e mensagens a serem distribuídos;
<> Incentivo através de palestra, atividade física ou lúdica o bem-estar e o companheirismo.

AÇÕES

01
Visitar pessoas em situação de abandono ou vulnerabilidade, melhorando a autoestima.
02
Confeccionar brinquedos ou brindes para crianças carentes.
03
Arrecadar alimentos ou material de limpeza para pessoas carentes.
04
Realizar campanhas de conscientização contra a obesidade, drogas, violência, bullyng, entre outros.
05
Contribuir na alfabetização de uma criança, jovem ou idoso.
06
Fazer uma tarefa doméstica, como lavar a louça, apesar de simples é uma ação muito apreciada.
07
Organizar homenagem surpresa para quem se destaca na escola ou na comunidade.
08
Promover brincadeiras, gincanas, recreação ou lazer para pessoas da comunidade.
09
Conseguir mudas, fazer plantio e a conservação de árvores (comunidade verde).
10
Deixar papéis com mensagens inspiradoras e incentivadoras em casas e estabelecimentos.
11
Organizar o momento do abraço fraterno, como forma de valorizar e elevar as pessoas.
12
Preparar mensagens escritas para pessoa especial, numa data importante.
13
Doar roupas, sandálias, sapatos ou brinquedos.
14
Preparar uma aula especial para o(a) professor(a).
15
Organizar caminhada ou atividades recreativas junto à comunidade.

Há muitas formas de ser solidário em um mundo de tantas desigualdades, de circunstâncias e situações de negligência com a integridade física, moral e emocional do ser humano. O mundo necessita muito de pessoas que doam seu tempo, carinho, respeito, atenção e amor para com aqueles que se encontram em situação de risco, de exclusão, de marginalidade, de esquecimento, de desumanidade.
Vejamos mais algumas formas de intervir e colaborar, através de ações voluntárias, em favor do próximo. É preciso olhar à sua volta e ver o que é possível fazer.
É preciso levar em conta muitos fatores que passam pela nossa capacidade de, efetivamente, contribuir, pelas características de cada contexto e também pela nossa habilidade e disposição para superar eventuais obstáculos. Outras ações que poderiam ser implementadas, com a organização e participação dos discentes, seriam: montar de kits de material escolar para crianças de baixa renda; começar um círculo de leitura para pais e alunos; aprender a linguagem de sinais para se comunicar com alunos portadores de deficiência auditiva; criar um programa para evitar o vandalismo e reforçar a auto estima escolar; embelezar as dependências da escola, recolher o lixo, plantar flores e árvores; criar um jornal interno voltado para as preocupações da comunidade escolar; criar informativos para mães adolescentes; convidar idosos para a sala de aula, a fim de enriquecerem as aulas de história, geografia e outras.

CRONOGRAMA
O projeto será realizado durante todo o ano letivo, com ações quinzenais ou mensais, com organização de leituras teóricas, conhecimento da realidade e instruções específicas para desenvolvimento de cada ação voluntária.

AVALIAÇÃO
A avaliação será contínua, mediante a organização, apresentação e participação dos alunos no desenvolvimento do projeto.

“Quem não vive para servir, não serve para viver” - Mahatma Gandhi.