PARÓQUIA DE LUÍS GOMES: O ALVORECER DE UM NOVO SÉCULO

O século XX despontava com o crescimento da religiosidade entre os luís-gomenses, um tempo de grandes desafios, de grandes lutas e repleto de novas esperanças. Inicialmente, surgira a demanda de reformulações da pequena capela, com a construção da primeira torre da Igreja Matriz em 1905, seguida de uma grande reforma em 1914, os melhoramentos realizados em 1918 por uma comissão de fervorosos católicos, assim como relata Figueirêdo (1940, p. 26) em História de Luiz Gomes: “Em 1918 uma comissão de fervorosos católicos empreendeu diversas remodelações, fazendo limpezas internas e externas, construindo novo Altar Môr e os altares do Coração de Jesus e de Maria”.
Depois de décadas vieram os melhoramentos, principalmente do capelão e depois Cônego Manoel Vieira da Costa (FIGUEIRÊDO, 1940). De maneira que em 1905 foi erguida a Igreja, que tinha as três torres como característica mais acentuada e marcante.
Em 1914 houve a ampliação da primitiva capela, com a construção da fachada e corredores, passando a medir 25 metros de comprimento, por 15 metros de largura, num total de 375 metros quadrados. Havia três altares, sendo o principal o altar-mor de Senhora Sant’Ana e dois laterais: Coração de Jesus e de Maria Santíssima e São José e Nossa Senhora da Conceição (LIMA, 1990).
A restauração da Paróquia ocorreu em 08 de dezembro de 1920, por Dom Antônio dos Santos Cabral, com a denominação: “Freguesia de Santana de Luís Gomes”, como dissera Lima (1990): “Não instalada ou suprimida que foi, mais tarde, conseguiram restaural-a, no governo diocesano de D. Antônio dos Santos Cabral, 2º Bispo de Natal, por decreto de 08 de dezembro de 1920. É, hoje em dia, parochia do Bispado do Mossoró”.
Em 27 de fevereiro de 1921, toma posse o primeiro vigário encarregado da Paróquia, Pe. Fortunato Arêa Leão, exercendo seu vicariato até 19 de março de 1926. Apenas em 09 de março de 1940, tomou posse o primeiro vigário a residir na cidade de Luís Gomes, trata-se do Pe. João Epifânio de Freitas Guimarães.
Os padres de Luís Gomes, cada qual a sua maneira, contribuíram para o fortalecimento da fé, da solidariedade, da comunhão e da vida cristã. Apesar da importância espiritual, social e apostólica, a historiografia não se fez tão fértil.
O Pe. Benedito Basílio Alves, homem de grande persuasão, chegara a convencer cangaceiros a deixar a cidade de Apodi, anos depois de deixar a Paróquia de Luís Gomes. Fundou nessa cidade a Associação de Santa Teresinha do Menino Jesus. O Reverendíssimo Pe. Omar Bezerra Cascudo também merece destaque, uma vez que administrava a paróquia na passagem aterrorizante do bando de Baltazar Meireles, em 30 de outubro de 1930.
REFERÊNCIAS
FIGUEIRÊDO, A. P. de. História de Luiz Gomes. Luís Gomes: Centro de Imprensa S/A, 1940.
LIMA, N. Municípios do Rio Grande do Norte: Flores, Goianinha, Jardim do Seridó, Lajes e Luís Gomes. Mossoró: ESAM, 1990. (Col. Mossoroense, 598, série C).


LUÍS GOMES RN – O melhor e mais completo portal de notícias, opiniões e informações do município de Luís Gomes.